Tubarão, de Peter Benchley

Olááá 😀

Demorou, mas finalmente vou falar de Tubarão ♥

TUBARÃO é o clássico romance de Peter Benchley que deu origem ao primeiro blockbuster de Steven Spielberg. Mas, mesmo antes do sucesso na telona, o frenesi alimentar de Jaws se transformou num fenômeno de vendas. O best-seller internacional foi o principal responsável em elevar a fera de barbatanas dorsais ao status de perfeita encarnação do mal. Se já existiu um bicho-papão na natureza, ele está dentro d’água.

A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região. Mas o prefeito Larry Vaughan, mais preocupado com o dinheiro dos veranistas, consegue abafar a notícia e libera o banho de mar na cidade. O banquete está servido.

O impacto dessa obra pop foi tão violento, que gerações passaram a pensar duas vezes antes de cair no mar. O resultado, além das intermináveis semanas do tubarão na TV a cabo, foi a perseguição desenfreada a esses peixes de dentes afiados. Benchley se tornou um ativista contra a matança indiscriminada dos tubarões.

Ao completar 40 anos, TUBARÃO volta às praias brasileiras com aquele toque feroz que só a DarkSide® Books consegue dar. Em duas versões: Limited Edition (capa dura) e Classic Edition. (DarksideBooks)

Jaws-movie-poster.jpg

Encadernação: Capa Dura
Formato: 14x21cm
Número de páginas: 320
ISBN: ISBN: 978-85-66636-369
Autor: Peter Benchley
Tradução: Carla Madeira
Editora: DarkSide®
Idioma: Português

Assisti ao filme alguns meses antes de ler e me apaixonei de imediato. Embora grande parte do filme se passe no mar, em momento algum o filme fica monótono, mesmo sem mudanças notáveis de cenário.

Li com muita curiosidade de saber como isso seria feito no livro, já que é fato que no cinema há mais recursos que fazem com que a nossa atenção permaneça ali, como a clássica música que toca quando o tubarão aparece, por exemplo. Em uma narrativa, como isso seria feito?

A história é bem simples de explicar: um tubarão começa a atacar banhistas da cidade de Amity. Quando o xerife Brody, que é o personagem principal, fica sabendo dos primeiros ataques, o seu impulso inicial é fechar a praia. Contudo, ele é impedido pelo prefeito, que está mais preocupado com o lucro que o turismo gera do que com as pessoas que foram mortas.

Ao perceber que os ataques não cessarão, o xerife resolve que é hora de ele mesmo dar um jeito na situação, ou seja, enfrentar o tubarão de perto. Para isso, ele conta com a ajuda do ictiologista Matt Hopper e do pescador Quint. E é ai que fica interessante ♥

O que achei:

A escrita de Peter Benchley é simples, o que torna a leitura rápida. Logo no começo dá pra perceber qual personagem faz que tipo, não há muitas facetas escondidas – com exceção do Tubarão, claro.

Meus momentos favoritos foram os que se passaram no mar, a tensão era tão grande que mesmo quando o Tubarão não era mencionado eu não conseguia relaxar enquanto lia. Peter descreve as cenas marítimas de forma dinâmica, o que faz com que seja fácil de visualizar o que está sendo lido.

O gigantesco peixe movia-se em silêncio pelas águas da noite, empurrado pelos toques curtos de sua cauda em formato de meia-lua. A boca abria-se o suficiente para deixar passar um jato de água por suas guelras. Havia um outro discreto movimento: uma mudança eventual do curso, aparentemente sem sentido, feita por um leve levantar ou abaixar da barbatana do peito — como um pássaro que muda de direção abaixando uma asa e levantando a outra.

Meu personagem favorito foi, sem dúvidas, o Tubarão! Ele é incrível e imprevisível, como é de se esperar, e foi por causa dele que eu amei o livro – digamos que, com exceção do pescador, os humanos da história são bem chatinhos. Há todo um mistério envolto nele, já que por ser um animal não há como os personagens saberem o que o levou a perseguir aquela região específica e ali permanecer. Além disso, há informações interessantíssimas sobre a espécie. Depois dessa leitura passei a ficar interessada por tudo o que vejo relacionado a tubarões.

23d4dc58a5f28d747763d37f77ff3ce604dffdca

Há, também, um romance (bem bobo) e uma máfia. Ambos não muito relevantes. Não fariam muita falta caso não existissem, tanto é que não estão no filme e não enriquecem muito a história do livro,  basicamente reforçam algumas características dos personagens envolvidos de uma maneira previsível.

De maneira geral, vale muito a pena ler e também assistir ao filme, é uma história de aventura maravilhosa e com momentos de tirar o fôlego ♥ A edição que eu tenho é lindíssima, é a de capa dura da Darkside, contudo, não vou postar mil fotos dela aqui pois quando o livro foi lançado TODO MUNDO falava sobre ele e as minhas fotos serão apenas mais do mesmo hahahah Na época que li postei algumas fotos no instagram.

E vocês, já leram Tubarão? 😀 Adoraria saber o que acharam caso tenham lido ou assistido!

Até mais!

Quer receber as atualizações do blog de forma mais prática?

2833582_orig  Siga no instagram: @theroom1408

Lembrando também que você pode se inscrever ali no canto pra receber um e-mail avisando quando tiver post novo ->

Follow my blog with Bloglovin

Anúncios

2 comentários em “Tubarão, de Peter Benchley

  1. Eu li seu post, achei a descrição ótima! MAS quando vi a foto do filme, a única coisa que consegui pensar foi na minha mãe falando “Eu vi esse filme no cinema com seu pai, pouco antes da gente começar a namorar” (um casal muito romântico, vê-se, né?) 😛

    Curtido por 1 pessoa

Vamos conversar :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s