Reflexão acerca da febre dos livros de Youtubers.

Vi este texto no blog Paginou e, com a autorização do autor do texto, resolvi compartilhá-lo com vocês. O texto reflete muito do que eu penso sobre isso.

TÁ INCOMODADO? ESCREVA UM BEST-SELLER

 
     “Uma das polêmicas mais recentes na internet é os livros dos youtubers (quem faz vídeos para o Youtube). E, claro, tem opinião para todos os gostos: a favor, contra e aqueles que não estão nem aí. Mas, antes de julgar, vamos pensar um pouco no assunto?

     Em uma entrevista para a Folha de São Paulo, Kéfera Buchmann, youtuber e autora de Muito Mais que 5inco Minutos, disse, para aqueles que criticam seu livro: Meu recado é: ‘Tá incomodado? Escreva um livro que você considere incrível e publique, ué! Quem sabe vira best-seller e você pode parar de apontar dedos pra quem já é?‘” Esse comentário foi o que eu precisava para escrever esse post. Não quero que fique muito cansativo, então vou tentar ao máximo simplificar tudo o que eu disser. 
      Um livro de um youtuber é muito mais que “só mais um livro”. Primeiro que, antes de ser lançado, já podemos vê-lo na lista de best-seller, afinal, a divulgação dele não poderia ser melhor. Imagine alguém que você assiste semanalmente e admira muito publicar um vídeo dizendo que escreveu um livro e ele está em pré-venda. Você não se sentiria tentado a comprar? Pois é, a editora pensa nisso também. Então se ela recebe a proposta de publicar um livro que de certeza será best-seller, por que ela iria negar?
     Mas, calma lá, não é por causa disso que o livro seja ruim ou que não valha a pena ser lido. Talvez ele seja o livro que vai mudar sua vida, mas esse não é meu ponto. Para ser sincero, não tô nem aí se o livro vende ou não vende, se as pessoas gostam ou não gostam. Mesmo me sentindo incomodado com a hipocrisia que esses livros possam apresentar, não sou o público deles. E ponto.
     Agora, pensem comigo: suponhamos que eu tenha escrito um livro contando tudo o que eu aprendi com a vida, uma editora publicaria? Talvez ela nem analisaria. Ok. Vamos mexer um pouco os pauzinhos: suponhamos que eu, que tenho um canal com milhões de inscritos, tenha escrito o mesmo livro contando tudo o que eu aprendi com a vida, uma editora publicaria? CERTAMENTE! Mas, respondam-me com sinceridade, o que uma pessoa de 15 anos tem para contar sobre “o que aprendeu com a vida”? É realmente por causa desses feitos que ela conseguiu publicar um livro? Ou será que tudo foi resumido exclusivamente ao lucro? (Salvo exceções de pródigos etc.)
     A editora precisa de dinheiro para comprar o direito de publicar algum lançamento internacional, ou para pagar seus funcionários, ou para pagar a gráfica, não importa. As editoras também são uma empresa e querem lucro.
     Cada vez mais vemos esses livros à venda e poucas revelações nacionais ganhando destaque. Já não é novidade que o argumento “os livros nacionais são muito ruins, nenhum presta” é falso e puro preconceito. Autores como Gustavo Ávila (O Sorriso da Hiena), Paula Pagliarini (O Segredo dos Elfos), Maurício Gomyde (Surpreendente!) e Raphael Montes (Dias Perfeitos) estão aí para provar que a literatura brasileira contemporânea é muito forte.
     E por que continuamos sem dar apoio para NOSSOS autores? Por que as editoras estão mais preocupadas em divulgar livros de quem é conhecido? Por que os novos talentos não ganham destaque? A resposta para essas perguntas não faz sentido.
     Para quem ainda não entendeu: não estou criticando a qualidade dos livros dos youtubers, eu nem ligo, na verdade. Estou preocupado com o que estamos fazendo com nossos novos autores (nada). Estou assustado por conhecer um mundo editoral onde o dinheiro é mais importante do que o próprio livro. 
Então, Kéfera, estou incomodado, sim. Que pena que escrever um livro e publicar não é nada simples, principalmente para autores novos, sem nada além do seu original para apresentar. Quem sabe se as editoras dessem mais crédito a esses autores, eles poderiam realmente ter seus livros na lista dos mais vendidos. Mas enquanto isso não acontece, precisamos chamar a atenção das editoras.

     Quero saber a opinião de vocês sobre esse assunto. Comentem aqui, debatam com um amigo, entrem em contato pelo Twitter, reclamem com as editoras. Não importa, mas façam. O Brasil precisa disso.”

E vocês, o que pensam sobre isso? Caso queiram ler o texto e opinar no site Paginou, clique aqui. Agradeço ao Fred por ter escrito este ótimo texto e ter deixado que eu o publicasse aqui.
Até mais!
Anúncios

20 comentários em “Reflexão acerca da febre dos livros de Youtubers.

  1. Amei o que o cara escreveu!
    Também me sinto incomodada com isso, principalmente porque a maioria desses youtubers, que apesar de eu gostar se assistir aos vídeos, não tem histórias para contar.
    Milhares de escritores incríveis estão por ai (a bienal do livro é um exemplo disso, tem muito escritor “novato” tentando fazer seu sucesso) e não tem a chance que esses vloggers tem devido ao pouco marketing existente em nós, meros mortais haha :{

    Curtido por 1 pessoa

  2. Na minha opinião, todo livro é lançado como um produto. Uma mercadoria como qualquer outra. O que faz com que eles sejam especiais é que além desse status de produto, eles também carregam a ideia de que são arte. O que não é o caso dos livros de youtubers.

    Eu não os assisto e nem cheguei a ler os livros deles (sinceramente, tenho muito mais o que fazer). Vi apenas imagens de alguns trechos que foram o suficiente para os detestar. O conteúdo era de um teor completamente inapropriado, especialmente para o público-alvo. Se você procurar na internet, não deve ter dificuldades para encontrar as imagens de que falo.

    Só que nem todo youtuber escreve mal. Dentre esse “gênero”, existem os booktubers — youtubers com canais voltados para a literatura — e muitos deles escrevem bem. Espero que estes não venham a sofrer preconceito por causa dos youtubers teens. Aliás, no exterior os booktubers já publicam há alguns anos.

    Resumo: A melhor função para o livro de um youtuber teen é servir de lenha ou talvez como um tutorial sobre o que NÃO escrever. Já os booktubers merecem tanta atenção quanto os escritores “convencionais” — e mesmo estes merecem muito mais destaque na mídia do que realmente têm.

    Curtir

    1. Oi, Mardem! Gosto de muitos booktubers e também acho que muitos têm potencial para a escrita, mas, assim como há youtubers e youtubers, há booktubers e booktubers, né? De qualquer forma, prefiro assistir à um vídeo de alguém falando sobre um livro que considero ruim do que sobre coisas que considero inadequadas para pré-adolescentes, que são o maior público dos youtubers. Obrigada pro compartilhar o seu ponto de vista!

      Curtir

  3. Adorei o que esse cara escreveu e super concordo!!
    Por mais que eu assista os vídeos desses youtubers, eu me sinto incomodada com o fato deles publicarem livros sobre suas vidas, e praticamente não terem nada para contar sobre a vida deles, sendo que tem muitos escritores por aí, que se esforçam para tentar publicar um livro e que são muito bons, mas acabam não conseguindo, por não ser tão simples assim :((

    Curtido por 1 pessoa

  4. São livros que não são apostas, as editoras já sabem que vão ter um público que irá comprá-los, já tem a visibilidade toda de que precisam e quem quer comprar não vai ligar pra criticas negativas ou positivas, só vão comprar por consumir um produto de seus ídolos e talvez saber mais sobre eles.

    Não vejo problemas na questão de preferências por autores novos, já que essa grana que a editora ganha pode ajudá-la a publicar novos autores, isso se não ficar presa no vício de só publicar esse tipo de livro. A questão é toda voltada a uma tendência atual de mercado, assim como anos atrás foi a onda com tudo referente a qq código secreto que algum famoso deixou nas suas obras ou destrinchando o Código Da Vinci, por conta das obras do Dan Brown. É uma tendência e elas passam.

    O problema é que vivemos em uma sociedade que já é voltada mais para o hype do que para a qualidade em si, isso dos livros já aconteceu com a música, hj a maioria delas são descartáveis, músicas de verão para se ouvir por 3 meses e depois nunca mais, acredito que essa enxurrada de livros de youtubers passe por esse mesmo problema, até por conta do público-alvo que é em sua esmagadora maioria formada por adolescentes, que não vão ficar e acompanhar essa galera quando ficarem mais velhos e talvez tb percam a atenção de uma geração mais nova que estará focada em outras coisas.

    O mundo é dinâmico e a roda gira mais rápido nos dias de hj, tudo fica mais famoso rapidamente, mas também se apaga mais depressa e desaparece em instantes. Essa galera supernova vai ganhar o dinheiro que puder, as editoras tb vão, e esses livros vão ficar empoeirados nas estantes dentro de pouco tempo, mas até aí eles já cumpriram a função que eles tinham quando foram feitos: vender.

    Curtido por 2 pessoas

  5. Concordo com o seu ponto de vista , o que não quer dizer que eu não me incomode com esse “boom” de livros de youtubers.
    Quanto ao exemplo da música: a meu ver, em toda geração e em toda e qualquer década existem músicas a serem aproveitadas e outras não, isso não é algo necessariamente contemporâneo, a diferença é que agora as pessoas têm mais espaço para reclamar disso.
    Voltando para os livros, creio que existem muitos autores nacionais dignos de destaque, o ponto é exatamente o que você colocou: lançando determinadas “obras”, o lucro é garantido, e espero sinceramente que esse lucro possa realmente ser destinado a escritores desconhecidos.
    No mais, gostei das suas observações, obrigada por compartilhar conosco!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Não acompanho a maioria desses Youtubers, muito menos a Kéfera (mesmo eu estando por dentro de tudo do youtube) e concordo plenamente com o texto do cara. E realmente, seria ótimo se dessem oportunidades para quem merece, não que a Kéfera ou qualquer outro não mereça, mas oportunidades para quem realmente ama escrever e que tem algo útil e prazeroso para passar. Pessoas que deixam a gente com gostinho de quero mais, e não histórias decoradas da vida. E sim, hoje em dia o que mais importa pra eles são os números que aquela x pessoa tem, e o quanto lucram em cima disso. Seria incrível se publicassem não pela quantidade de números, e sim pelo belo conteúdo que a pessoa tem para passar. Literatura de verdade.

    Curtir

  7. Nem fala, é difícil mesmo…. eu já não era nem acostumada a ler autores nacionais (síndrome de vira-lata? maybe) que não os da minha infância – Pedro Bandeira, Monteiro Lobato, Stela Caar 😛

    Para mudar isso, eu fiz uma listinha só de autores nacionais que quero ler esse ano, preferencialmente com publicações nos últimos 5 anos (mas a Hilda Hist tá na lista, pq “amo ela” e pq sim!). Claro que isso só depois de junho, quando vou entregar a dissertação, rsrs

    A gente pode combinar de ler alguns nacionais juntas, hein? *_*

    Curtido por 1 pessoa

  8. O q acontece é q no começo de 2000 a grande massa ganhou poder econômico, e é natural q com muita gente consumindo, o gosto mais apurado ficou menor. É por isso q vemos músicas com letras e melodias desinteressantes e livros com histórias pobres em 1º lugar. As editoras querem vender, e o q o grande público compra são esses livros. Eu tb assumo minha parcela de culpa nessa história, pois, acredito q por preconceito, não tenho livros de escritores brasileiros na estante.

    Curtir

    1. Oi, Tábata!
      Eu não acho que isso está ligado ao poder economico da grande massa ou gosto menos apurado, já que grande parte do publico dos youtubers é de classe média alta pra cima. De qualquer forma, bem, ao menos estão lendo, né? Eu torço pra ser uma fase e que esses livros abram portas pra outos! Quanto aos escritores brasileiros, todos temos uma parcela de culpa hahahahhaha com exceção dos clássicos, é bem difícil se inserir nesse mercado, por isso acabam buscando outras alternativas, como publicar no wattpad, por exemplo.
      Obrigada pelo comentário!

      Curtido por 1 pessoa

  9. Infelizmente não é simples assim escrever um best-seller e achar uma editora que enxergue algum potencial na obra. O que a Kéfera não vê é que as pessoas compram o livro por ela, e não por ser algo super bem escrito e cheio de conteúdo (muito infeliz esse comentário dela, mas…). Por um lado fico triste, pois muito bons escritores não tem oportunidade de mostrar seu trabalho ou são pouco reconhecidos. Mas por outro, toda essa moda de livros de youtubers acaba incentivando quem nunca pegou em num livro na vida, começar a ler.
    Ótimo post! Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  10. Bom ponto. Infelizmente tudo ainda é sobre dinheiro. Eu poderia fazer um post enorme só sobre os youtubers que ficam famosos muito cedo, e vivem num mundo de conto de fadas. Kefera como muitos outros tem um problema sério quando acham que não são privilegiados como artistas por já estarem em posição de visibilidade. O ponto realmente não é a qualidade dos livros dos youtubers, e ouso dizer nem sequer seu conteúdo. Tudo bem que a Kefera por exemplo tenha seu mérito como uma pessoa extremamente carismática no youtube, comunicativa e que por isso tenha ganhado muitos seguidores,mas que entenda que da mesma maneira que ela recebe dinheiro por ter vários seguidores, qualquer coisa que a mesma vier propor tem muito mais chance de dar certo do que uma proposta feita por outra pessoa. A nossa mídia sedenta de dinheiro, engorda das mesmas entidades, sugando tudo o que puder deles até que apareça outro e assim por diante. Infelizmente ainda temos uma industria cultural prostituída e somos reféns dela. Infelizmente nem todos os artistas que estão envolvidos com ela são maduros o suficiente para perceber isso. Mas, torçamos por dias melhores!

    Amei o post!

    Curtir

Vamos conversar :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s