Resenha: Hellraiser – Clive Barker

Desde que a DarkSide Books anunciou que lançaria um livro do Hellraiser eu fiquei extremamente ansiosa. Quando anunciaram, eu ainda não sabia se seria um romance ou naquele formato “dissecando o filme tal” (por exemplo: nesse post mostrei três que tenho nesse formato). Qualquer um dos dois formatos eu ficaria muito feliz, pois sou muito fã dessa franquia de filmes e estava ansiosíssima para reencontrar Pinhead e os Cenobitas, já que o ultimo filme lançado eu achei bem ruim, além de não contar com o elenco original. (Caso você nunca tenha ouvido falar sobre, clique aqui para ver o trailer do primeiro filme.)

Pinhead e Cenobitas
Pinhead e Cenobitas (elenco original).

Foi uma longa espera e um belo dia, o livro, que seria no formato romance, estava na pré-venda! Comprei no Submarino, e,  como de costume, chegou antes do prazo!

Sobre a história:

Bem, eis que ontem decidi me aventurar na leitura deste livro. A história, escrita por Clive Barker, é a seguinte: Frank, um homem sempre em busca de aventuras, está cansado da vida que tem levado e quer buscar um prazer maior do que ele tem conseguido. Um dia, ele compra o quebra-cabeça da caixa de Lemarchand. Esse quebra-cabeça oferece infinitas maravilhas para aquele que o resolver, e Frank passa a se empenhar muito em fazê-lo para conseguir o tal prazer sobre-humano que tanto deseja, até que consegue.

A caixa
A caixa

Ao desvendar o mistério da caixa quebra-cabeça, Frank percebe uma luz e imediatamente após isso, aparecem quatro cenobitas. A visão dos Cenobitas era totalmente o oposto do que Frank esperava, pois ao abrir a caixa ele esperava ser contemplado com belas mulheres dispostas a o levarem a êxtases jamais sonhados. Ao ser questionado pelos Cenobitas sobre o que ele quer, Frank responde “prazer”, e é assim que os Cenobitas o levam para o mundo de trevas em que vivem e dão a Frank o que ele pede, porém na percepção deles.

A partir dai, a história passa a narrar um casal, Julia e Rory, que está de mudança para uma nova casa. A casa em questão é a mesma que Frank, que é irmão de Rory, invocou os Cenobitas. Ao longo da história descobrimos que Julia e Rory já não se amam mais, Julia apenas o suporta e Rory só ama a beleza de Julia.

Desde o primeiro dia que Julia foi ao quarto em que Frank estivera, chamado por eles de “quarto úmido”, ela sente uma presença estranha naquele comodo e pensa em Frank, seu cunhado. Depois de sentir essa presença, Julia passa a visitar o quarto com certa frequência para relembrar aquele momento em que, dias antes de seu casamento com Rory, ela e Frank fizeram sexo, e depois disso Frank sumiu para sempre de sua vida. Um dia, enquanto ia fazendo as adaptações necessárias na nova casa, Rory se corta e vai até Julia, que está no quarto úmido. O sangue de Rory começa a pingar no chão e Julia imediatamente faz um curativo e o leva ao médico. Quando voltam, Julia o questiona se ele havia limpado o sangue do chão e ao ouvir Rory dizer que não, ela vai até o quarto para fazê-lo. Ao chegar no quarto, Julia vê que não há nem resquícios de que houvera sangue ali apenas algumas horas atrás, e é ai que as suas suspeitas são confirmadas: há de fato a presença de Frank naquela casa, e se é de sangue que ele precisa para voltar a viver na terra, Julia vai se empenhar ao máximo para conseguir.

Minha opinião:

O único contato que eu tinha com alguma obra de Clive Barker foi ao ler uma HQ do Hellraiser. Nunca havia lido nenhum romance dele mas morria de vontade de conhecer mais e principalmente de ler The Hellbound Heart, título original do romance.

A história é contada em terceira pessoa, em alguns capítulos muda da visão de Julia para a de Frank e assim sucessivamente. A tradução está extremamente agradável, parece mesmo que o livro foi escrito originalmente em português de tão natural que está a narrativa, você começa a ler e não dá mais pra parar. A consequência de eu ter amado o livro é que eu passei a amar ainda mais o primeiro filme, pois agora tenho uma base pra saber que ele foi muito bem adaptado. A única diferença notável é que no filme Rory tem uma filha, e no livro essa personagem é apenas uma amiga do casal.

É impossível não falar do filme! Cada dialogo é excelentemente bem adaptado.
É impossível não falar do filme! Cada dialogo é excelentemente bem adaptado.

IMG_20150928_151305

Como ao comprar qualquer livro da DarkSide, eu criei grandes expectativas quanto a esse e foram todas alcançadas. O livro tem a capa de couro com alguns detalhes imitando os da caixa quebra-cabeça em baixo relevo, e o desenho da caixa é em dourado, assim como o nome de Clive Barker. Como no livro A Menina Submersa, não há o título na capa.

IMG_20150919_113158

O que divide os capítulos são dois preguinhos, uma alusão ao Pinhead.

IMG_20150928_143657873

Eu, particularmente, sempre espero fotos nos livros da Darkside, e esse tem duas fotos do Pinhead no final! Até postei recentemente no instagram, clique aqui para ver.

Uma coisa que me surpreendeu foi o quão pequeno o livro é! Eu esperava algo em torno de 300 páginas mais ou menos, mas o livro tem apenas 150, fator que não muda em nada o quão maravilhosa a história é! A única coisa que me incomodou um pouco ao longo da leitura foram uns três errinhos que encontrei, mais pareciam erros de digitação mesmo, mas se eu percebi, como quem faz a revisão deixou passar? É uma pena.

Minha opinião final é que é um livro maravilhoso, recomendo a leitura a todos os fãs do gênero, há sim algumas partes um pouco “gore”, mas nada em comparação ao que é visto no filme. E se você não é fã desse gênero de livros, bem, vale a pena dar uma chance!

Anúncios

17 comentários em “Resenha: Hellraiser – Clive Barker

  1. Oi Barbara!

    Achei lindo seu espaço aqui – tentei montar um no wordpress também, mas achei o blogger mais customizável no que estou acostumada (velha, eu?)

    Menina, você é quase uma alma-gêmea-literária-separada-no-nascimento!! Fiquei super feliz em encontrar seu instagram! Quando vi esse livro lá, eu tomei coragem e encomendei 🙂 Não assisto filmes de terror porque sou frouxa… mas ler, eu leio!

    Bjus!

    Ps. a caixa gigante do submarino acabou de chegar com meu livrinho… e eu tô no trabalho e nem posso pôr as mãozinhas nela! 😦 Rsrs!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Paulla! Amei o seu comentário ❤ E inicialmente eu tentei criar no wordpress, ai acabei indo pro blogspot e voltei pro wordpress, acabei me entendendo com os themes! Se precisar de ajuda eu te ajudo!
      Assim que você ler me fala o que achou, e nossa, pior coisa ver: "objeto saiu para entrega" e não estar em casa para receber hahahah
      Qual o seu instagram?

      Curtir

      1. Oi again!

        [para tudo: MINHA CAIXA CHEGOU!!! Já é natal aqui em casa, OMG!]

        Então, continuando, rsrs
        Meu insta é @a_catalogadora, eu te sigo já 😉
        Uma pena só ter feito o blog há pouco tempo… quando mudei para cá em fevereiro eu dei minha coleção das bruxas Mayfair (HB I e II, Lasher e Taltos), nhé 😦

        Também já li as Vampirescas, As Brumas, e a coleção Darkover da Marion… Tô falando, separaram seu cérebro do meu no nascimento 😛

        Bj grande, um prazer conhecer você 😀

        Ps. eu criei no blogspot, passei pro wordpress, e voltei pro blogger, rsrsrs! Ainda tô me ajustando com ele, mas eu até que me dô (razoavelmente) bem com HTML

        Curtir

      2. Se não me engano estava olhando teu insta hoje mesmo… Gente!!! Arruma logo esse blog, mulher! Serei leitora fiel! Quando você comenta e eu clico ele me redireciona pro teu WordPress, aí fala que é privado, algo assim. Quando arrumar o blogspot me passa!
        Ah, a série Darkover eu ainda não li 😦 Vou colocar na minha Wishlist
        Prazer alma gemea literária, espero te ver por aqui mais vezes! Hauha

        Curtir

      3. O blogspot tá no meu insta, dá uma olhada lá! Mas não espera muuuita coisa não que ele é um bebê recém criado (tudo que bem que a base de muito todinho e pão francês, para crescer rápido 😉 )… Isso de falar que o blog tá fechado é porque eu comento aqui usando o login do wordpress, e não o do blogger (viu como sou experiente nisso? rsrsrs)

        Curtir

  2. Primeiro quero dizer que adorei o nome do blog haha Sou um fã de terror viciado em Stephen King e entendi a referência. Até hoje estou órfão da Torre Negra. Se quiser a indicação de outra série fantástica para cobrir esse buraco: A Roda do Tempo de Robert Jordan, é tão complexa e apaixonante como a do King 🙂

    Segundo: Fifth Shades of Hellraiser! Hahaha ótima resenha, sempre é bom ouvir a opinião feminina sobre as obras do Clive Barker, mas The Hellbound Heart é um de seus livros mais light com relação ao erotismo, sério há uma cena em Desfiladeiro do Medo (uma orgia de fantasmas) mil vezes mais traumatizante haha. Também super indico Os Livros de Sangue, coleção de contos fantástica dele 🙂

    Terceiro: Paralelo a isso acredito apenas que você deixou de comentar que Hellraiser, o livro assim como o filme é uma das histórias mais romanticas já produzidas com várias dicas de sedução haha Vide meu post sobre o assunto

    http://www.bibliotecadoterror.com.br/2015/06/dia-dos-namorados-com-hellraiser-s2.html

    Ótimo blog continue com o bom trabalho, dica de veterano: cria uma página no facebook para ele, é a melhor forma de divulgação que existe 🙂

    Abração

    Curtir

    1. Oi, Rafa! Obrigada. Assim que criei as pessoas achavam que meu nome era Calla hahahahaha Fico super feliz quando alguém entende a referência. Sem dúvidas vou procurar essa série que você indicou.
      Não gosto muito do facebook, mas realmente é uma forma legal de divulgação. Farei uma página hoje mesmo!

      Curtir

Vamos conversar :D

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s