Tubarão, de Peter Benchley

Olááá 😀

Demorou, mas finalmente vou falar de Tubarão ♥

TUBARÃO é o clássico romance de Peter Benchley que deu origem ao primeiro blockbuster de Steven Spielberg. Mas, mesmo antes do sucesso na telona, o frenesi alimentar de Jaws se transformou num fenômeno de vendas. O best-seller internacional foi o principal responsável em elevar a fera de barbatanas dorsais ao status de perfeita encarnação do mal. Se já existiu um bicho-papão na natureza, ele está dentro d’água.

A história se passa em Amity, um balneário ficcional situado em Long Island, Nova York. Quando o corpo de uma turista é encontrado na praia o chefe de polícia Martin Brody ordena o fechamento das praias da região. Mas o prefeito Larry Vaughan, mais preocupado com o dinheiro dos veranistas, consegue abafar a notícia e libera o banho de mar na cidade. O banquete está servido.

O impacto dessa obra pop foi tão violento, que gerações passaram a pensar duas vezes antes de cair no mar. O resultado, além das intermináveis semanas do tubarão na TV a cabo, foi a perseguição desenfreada a esses peixes de dentes afiados. Benchley se tornou um ativista contra a matança indiscriminada dos tubarões.

Ao completar 40 anos, TUBARÃO volta às praias brasileiras com aquele toque feroz que só a DarkSide® Books consegue dar. Em duas versões: Limited Edition (capa dura) e Classic Edition. (DarksideBooks)

Jaws-movie-poster.jpg

Encadernação: Capa Dura
Formato: 14x21cm
Número de páginas: 320
ISBN: ISBN: 978-85-66636-369
Autor: Peter Benchley
Tradução: Carla Madeira
Editora: DarkSide®
Idioma: Português

Continuar lendo “Tubarão, de Peter Benchley”

O bebê de Rosemary, de Ira Levin

folder.jpg

Olá 😀 Como estão?

Tem tanto tempo que não falo sobre livros aqui que acho até que já perdi o jeito. De qualquer forma, mesmo assim vou tentar tirar a poeira.

Já queria ler o livro há um tempo e ele estava mofando aqui no kindle. Como ultimamente tem sido um milagre conseguir ficar concentrada em algo e a experiência anterior que tive com o autor Ira Levin foi a de uma leitura leve e que flui rápido, o livro parecia o ideal pro momento.

O autor narra, em 224 páginas, a história de Rosemary e Guy Woods, um casal recém casado. Eles acabaram de se mudar para um edifício famoso e há muito cobiçado por Rosemary, mesmo com todas as histórias no mínimo estranhas que supostamente ocorreram nele.

19f618ec5dcf05d0b88c5293fbf191f2.jpg

Continuar lendo “O bebê de Rosemary, de Ira Levin”

TBR 2017

Ano passado criei uma lista com livros que eu me obrigaria a ler. Embora “obrigar” soe como algo negativo, é literalmente isso que eu fiz, já que, embora tivesse vontade de ler os livros que escolhi, eles já estavam baixados/na estante há um bom tempo e eu nunca lia. Como esse esquema deu certo, farei novamente este ano, porém, com algumas regrinhas.

Na lista anterior, eu determinei dez títulos de forma totalmente aleatória. Porém, ao fazer o meu balanço de leitura anual, percebi que quase não li obras escritas por mulheres e obras escritas por brasileiros. Absurdo, né? Portanto, como ano passado escolhi dez e deu certo, neste ano escolherei 20, nas seguintes condições:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dos  20 livros, 5 deverão ser de mulheres. Escolhi:

Continuar lendo “TBR 2017”

Sobre os livros lidos em 2016.

Oi, gente! Como estão? Passaram bem a virada do ano? Eu to bem feliz de 2016 ter acabado, diga-se de passagem.

No começo do ano passado fiz uma listinha com os livros que pretendia ler em 2016 e, para minha surpresa, cumpri 99,8% ♥  Os livros eram os seguintes:

  • O Circo do Dr. Lao, de Charles G. Finney – Lido! Tem post aqui.
  • Rei Arthur e Os Cavaleiros Da Távola Redonda, de Howard Pyle – comecei a ler na última semana do mês e ainda não terminei. É legal mas eu esperava algo totalmente diferente e mais profundo, digamos.
  • O Centauro no Jardim, de Moacyr Scliar – Lido!
  • Outra volta do Parafuso, de Henry James – Lido!
  • Fahrenheit 451, de Ray Bradbury – Lido!
  • Eu Robô, de Isaac Asimov – Lido! Tem post aqui.
  • Tubarão, de Peter Benchley – Lido!
  • Americanah, de Chimamanda Ngozi Adichie – Lido e muito amado ♥
  • O Circo Mecânico Tresaulti, de Genevieve Valentine – Lido! Tem post aqui.
  • A Hora do Pesadelo – Arquivos de Elm Street, de Robert Englund – Não li pois a queridíssima editora anunciou o lançamento pra 2016 e não lançou, rs

Fora esses que escolhi no começo do ano, segundo o Skoob eu li: Continuar lendo “Sobre os livros lidos em 2016.”

#12mesesdePoe – Berenice.

Olááá 😀

Este post faz parte do Desafio de leitura #12mesesdePoe.

O conto do mês de Outubro é “Berenice”. Já havia lido o conto, e vou deixar hoje uma análise diferente por motivos de: zero tempo disponível. Já tinha o arquivo aqui pois é um pedaço de algo que usei pra analisar o conto na faculdade, portanto, não é algo que escrevi para o blog.

berenice-nelson-evergreen

Egeu, narrador personagem e personagem principal. Goza de pouca saúde e é extremamente melancólico, sempre frisando o quanto é desventurado: “Como é que, da beleza, derivei eu um exemplo de feiúra?”

A biblioteca, ambiente em que o personagem passa a maior parte da história, é mórbida por si só, tendo em vista que ali ele nasceu e ali sua mãe morreu, dando a entender que a mãe faleceu no parto. Sendo assim, podemos dizer que o próprio ambiente contribui para que o personagem seja depressivo.

Cresceu em solar paterno junto com sua prima Berenice, que é justamente o oposto de Egeu: saudável, alegre e bonita: os dois contrastam. Continuar lendo “#12mesesdePoe – Berenice.”

Links da semana ~4 ♥

browsing the net

Eu detesto textos que começam com “a incrível geração que isso, a geração que aquilo”, mas este aqui é ótimo  e me identifiquei muito!

Ótima reflexão sobre o quanto nos cobramos a perfeição, do blog My Other Bag is Chanel.

Não é novidade pra ninguém que eu AMO crianças, e o blog da Liliana é excelente. Além de crônicas e diversos textos ótimos, há os diálogos fofíssimos com a netinha Helena.

Manual real oficial para espalhar amor na internet, do blog desancorando. Leiam, a internet seria um lugar bem melhor se todos seguissem essas dicas ♥

A Nath, que acompanho através das newsletters maravilhosas que ela faz, mandou na última cartinha um link que é um “inventário de árvores” e da pra filtrar pelas frutíferas ♥ Amei muito!

Estou juntando esses links aqui nos rascunhos há séculos, mas como tenho andado desanimada e link algum da internet tem me interessado, por hoje é só!

Tenho notado que mesmo postando super pouco, sempre tem vindo alguém visitar o blog. Obrigada e bem-vindos!

Um beijo pra vocês e espero que o fim de semana seja ótimo! ♥

_

Quer receber as atualizações do blog de forma mais prática?

2833582_orig  Siga no instagram: @theroom1408 facebook_logo_image  Curta a página no facebook: The Room 1408

Lembrando também que você pode se inscrever ali no canto pra receber um e-mail avisando quando tiver post novo ->

Até mais!

Follow my blog with Bloglovin

#12mesesdePoe – O Caixão Quadrangular.

Olá, tudo bem? 😀

dbnb2pxc

Este post faz parte do Desafio de leitura #12mesesdePoe.

O conto do mês de setembro foi o “O Caixão Quadrangular”. Embora eu esteja postando só agora, eu li o conto no mês certo, eu juro! 😛

Nesta história, temos um narrador-personagem que vai à uma viagem de navio. Chegando ao navio, nota que Sr. Cornélio Wyatt, um amigo seu, está lá. Nota também que ele está mais melancólico que de costume e que está acompanhado de suas duas irmãs e sua esposa, que fora descrita como uma mulher belíssima, mas que pessoalmente não fazia jus à isso.

A verdade é que eu não podia deixar de olhar a Sra. Wyatt como uma mulher decididamente nada bonita. Se não era positivamente feia, penso eu que não estava muito longe disso. Trajava porém, com gosto esquisito, e então não tive dúvida de que ela dominara o coração de meu amigo pelas mais duradoura graças da inteligência da alma.

Continuar lendo “#12mesesdePoe – O Caixão Quadrangular.”

Harry Potter e o Enigma do Príncipe – Projeto de Leitura Plataforma 9 3/4

Olá 😀

Como vocês estão?

17n7t003puynzjpg

Este post faz parte do Projeto de leitura Plataforma 9 3/4.

Bem, vamos ao livro. Harry Potter e o Enigma do Príncipe foi o que eu levei mais tempo pra ler. Comecei a leitura no final de julho e acabei finalizando somente este mês. Em agosto tirei férias do trabalho e acabei lendo outras coisas.

Eu sei que todo post eu digo que o clima tá mais pesado do que no anterior, e vou dizer novamente. Agora há um clima de medo geral vinte e quatro horas por dia. As pessoas lêem o jornal com medo de alguém ter sumido. É como se um dia, em meio a sua rotina, você descobrisse que aquele tio da padaria que você dá bom dia todos os dias foi morto por ser “contra o governo” ou por não ser “sangue puro”, foi assim que associei. O Beco Diagonal agora é um local silencioso, as pessoas compram o que precisam o mais rápido possível e vão embora sem nem mesmo conversar. Já imaginou a 25 de Março assim? Então, é estranho e triste nesse nível. Continuar lendo “Harry Potter e o Enigma do Príncipe – Projeto de Leitura Plataforma 9 3/4”

#12mesesdePoe – Hop-Frog

426bb72c41ffbdc5517126bc02fbb2d0.jpg

Quanto a mim, sou simplesmente Hop-Frog, o truão, e essa é a minha última truanice.

Este post faz parte do Desafio de leitura #12mesesdePoe. O conto Hop-Frog fala sobre um rei e sua corte muito dados à brincadeiras. Como era de praxe ter bobos da corte na época, o rei possuía o seu: Hop-Frog, um anão coxo, que se movia de forma incomum, quase saltando, fato que divertia muitíssimo o rei e seus sete ministros, todos extremamente gordos.

De fato, Hop-Frog podia mover-se apenas por meio duma espécie de passo interjetivo – algo entre um pulo e uma contorção -, um movimento que provocava  ilimitada diversão[…]

Além de Hop-Frog, o rei tinha também uma anãzinha de nome Tripetta, descrita como bonita e de corpo bem distribuído e, por conta disso, mimada por todos – embora ainda tratada como uma posse e boba da corte, ou seja, um pouco menos maltratada do que Hop-Frog. Sempre que podia, ela usava os mimos em benefício de Hop-Frog, já que embora o rei se divertisse muito com o anão, ele não era querido por todos como Tripetta. Continuar lendo “#12mesesdePoe – Hop-Frog”